Tudo, ou quase tudo, sobre o menu iniciar do Windows 10

A Microsoft bem que tentou remover o menu iniciar, mas ele já estava tão enraizado na mentalidade dos usuários do Windows que não teve jeito, foram obrigados a trazê-lo de volta.

A versão mais recente do sistema operacional da gigante de Redmond não teve só o botão iniciar restaurado como também recebeu uma série de melhorias e funcionalidades extras que não existiam no “menu original”. Quer saber quais foram elas? Então fique ligado que vamos fazer uma pequena análise do Orfeu dos programas de computador, o menu iniciar do Windows 10.

A origem do menu iniciar

O menu iniciar, originalmente acionado através de um botão chamado sistema, foi concebido por Danny Oran para ser incorporado ao então Windows 95. A sua chegada à Microsoft foi para tornar o Windows mais fácil de usar pelos usuários não técnicos e Oran tinha uma experiência com o uso de interfaces por chimpanzés.

Desde a primeira aparição do menu iniciar, lá em 1995, ele esteve presente em quase todas as versões subsequentes. Com exceção, claro, do Windows 8. Isso reforça a tese de que não somos tão diferentes dos chimpanzés assim. E a retirada do botão não agradou nenhum pouco os usuários do sistema. Foi então que, no Windows 8.1, ele foi trazido de volta, mas estava completamente desfigurado e era basicamente uma lista com as principais opções, como você pode ver na imagem abaixo.

Botão iniciar do Windows 8.1

Como era de se imaginar, nem os usuários e nem a mídia especializada gostou do que estava diante dos olhos e foi necessária a saída de Steven Ballmer da diretoria da Microsoft para que tudo se equilibrasse. Foi o que aconteceu. O Windows 10 chegou trazendo um “novo menu iniciar” que contrabalanceava os pedidos dos usuários com as novidades testadas no Windows 8 e 8.1.

O menu iniciar do Windows 10

Diferente daquele menu descolado do Windows 95, que fazia os usuários percorrer um longo caminho com o cursor até chegar na opção pretendida, a nova versão do menu iniciar é mais organizada e exibe os programas mais populares em um canto reservado. Logo abaixo seguem as aplicações arrumadas em ordem alfabética e numérica.

Windows 10 com interface Modern

Botão de desligar

O novo menu tem um botão de desligar a um clique de distância. No Windows 8 era necessário mover cursor na diagonal, selecionar a charm bar, escolher a opção “configurações” para, finalmente, encontrar a opção de desligar. Para quem vinha acompanhando a evolução do sistema, era uma coisa fácil de fazer, mas manda alguém mais velho ou com pouca habilidade no uso de interfaces gráficas desligar a máquina.

Inclusão de blocos dinâmicos

Os blocos dinâmicos foram desenvolvidos para criar, no Windows 8, um ambiente que fosse, ao mesmo tempo, compatível com telas pequenas e grandes, alcançando o sonho da então interface universal que a Microsoft tão almeja. O problema? Eles não eram, nem de longe, substitutos a altura do menu iniciar. Eram, no máximo, um recurso adicional. E foi justamente essa função que eles assumiram no Windows 10.

Blocos dinâmicos do Windows 10

Blocos dinâmicos em ação

O usuário pode usar os blocos dinâmicos para, entre outras coisas, ter um conjunto de aplicações mais usadas separadas em um local de fácil acesso. Os blocos também são úteis para exibir atualizações de algum aplicativo, como o de notícias, do tempo, da loja da Microsoft, Xbox e até das redes sociais.

Você pode editar o tamanho dos blocos, clicando com o botão direito e escolhendo a opção de redimensionar, desinstalar um programa ou aplicativo diretamente do menu iniciar e até fixar um bloco na forma de ícone na barra de tarefas.

Windows 10 não é tão diferente assim do Windows 8

Entretanto, a versão padrão do menu iniciar não é a única disponível e, inclusive, você pode deixar o menu quase idêntico ao que era a tela inicial do Windows 8. Indo em Configurações -> personalização -> Iniciar, você pode escolher a opção de exibir o menu em tela inteira. Isso torna o uso do Windows 10 parecidíssimo com o que era no Windows 8. Se você, além de usar o menu em tela inteira, escolher a opção “todos os aplicativos” terá uma lista de programas idêntica ao que era a opção “todos os aplicativos” no Windows 8.

Menu iniciar com a tela cheia Windows 10

Menu iniciar em tela inteira

Perceba que foram pouquíssimas as mudanças do Windows 8 e 8.1 para Windows 10. Eles só reestruturaram o que já existia. Até a charm bar foi reaproveitada e se transformou na central de ações. E como já foi anunciado pela Microsoft, o Windows 10 será a última versão do sistema. O que veremos daqui para frente são atualizações que, aos poucos, irão mudar completamente o visual e as ferramentas que o compõem. Algumas serão incluídas, outras removidas, como já foi recentemente anunciada a morte do Paint para a próxima atualização do sistema.

Sistemas rolling release

Os gregos, há 3200 anos, já trataram do problema de sistemas rolling release num paradoxo chamado de “O paradoxo do navio de Teseu”. Se o navio de Teseu, herói grego que matou o Minotauro, parte do ponto A e, ao longo do caminho, vai substituindo as partes danificadas até chegar no ponto B. Seria esse navio que chegou no ponto B, o navio de Teseu? Fica o paralelo com os sistemas rolling release.