A Microsoft ajudava a NSA obter e-mails e vídeo-chamadas do Skype

O jornal britânico, The Guardian, divulgou documentos ultra-secretos do PRISM, programa de vigilância americano, que revelam uma relação quase amorosa entre a Microsoft, NSA e o FBI. A despeito da afirmação da Microsoft, e outras empresas, de que só liberaria informações confidenciais se possuírem um pedido legal, parece que a história completa não está sendo contada. De acordo com um relatório publicado pelo The Guardian, a Microsoft não se limitou apenas a entregar dados confidenciais, como também permitiu, tanto a NSA quanto o FBI, contornar a criptografia de seus serviços e permitir que, ambas as agências, coletassem dados do Outlook.com, Skype, e SkyDrive de forma facilitada.

NSA acessa seus e-mail do Outlook.com

Em boletins internos da divisão de operação de fonte especial da NSA, supostamente mostram que a agência era capaz de acessar e-mails ou chamadas do Skype através do programa PRISM. A NSA trabalhou junto com a Microsoft e o FBI para ter certeza de que o Outlook.com não seria imune à vigilância.

O Jornal The Guardian relatou, também, que o Skype teria assinados com PRISM em 2010, antes mesmo da sua aquisição pela Microsoft, e trabalhado continuamente para fornecer acesso a suas chamadas.

Skype fornece acesso à vídeo-chamadas às agências de segurança

Em 2008, a Skype negou categoricamente que ela poderia acessar uma chamada, mesmo se quisesse: “Nós não recebemos nenhuma intimações ou ordens judiciais nos pedindo para realizar uma interceptação ao vivo ou escuta de comunicações de Skype para Skype”, ela disse à CNET. “Em qualquer caso, por causa da arquitetura peer-to-peer do Skype e técnicas de criptografia, o Skype não seria capaz de cumprir tal pedido.”

Comunicado da Microsoft

Em comunicado, a Microsoft disse que não fornece aos governos acesso aos arquivos confidenciais de seus serviços. A empresa alegou que fornece os dados dos cliente somente em resposta a processos legais.