Impressora 3D, a tecnologia nunca foi tão perigosa

A brincadeira começou quando Cody Wilson criou uma arma de fogo de plástico. Nada muito complicado, ela só precisa de um gatilho, pino de disparo, uma câmara e um cano. Como se já não bastasse o feito, Cody apelidou a arma de “o libertador” e foi construída usando uma impressora 3D Dimension SST Stratasys. A arma é constituída por 16 partes, dos quais 15 são impressas em 3D. Wilson é o criador da companhia por trás do projeto, Defesa Distribuída. Ele afirma que o projeto não é sobre violência, mas sobre a liberdade. No site do Defesa Distribuída, você pode baixar vários projetos de armas e tantos outros que foram simplesmente censurados pelo do Thingiverse pelas industrias Makerbot. Só isso já bastaria pra nos alertar do perigo.

Apesar de o projeto ter fins pacíficos e ideal liberatório, ninguém sabe ao certo o quão impactante o poder de criar uma arma de fogo em casa é. Ainda não existe uma legislação para esse tipo de coisa e todo cuidado é pouco quando o assunto é arma de fogo.

Futuro das impressoras 3D

Que as impressoras 3D são uma revolução, isso já sabemos, mas ela traz consigo uma liberdade parecida com aquela que surgiu junto com a popularização da Internet. Ninguém está vendo o que eu estou fazendo, é só por curiosidade. O que as pessoas precisam nesse momento de transição é um pouco de responsabilidade e mais a frente, legislação.

E você o que acha dessa revolução de tudo isso?

Tópicos:

,