Mal o Ultra HD chegou no mercado e ele já está de saída

O Ultra HD é uma tecnologia nova que está lentamente penetrando o mercado mundial de telas. Dentro dessa tecnologia existem alguns termos já conhecidos como o 4K e 8K. Alguns afirmam que o nome Ultra HD está associado ao 4K, mas gosto de usar de forma genérica, tanto para 4K, quanto para o 8K. Pode parecer estranho pensar nessa possibilidade, mas não sabemos se haverá uma cronológica e ordenada mudança por cada um dos estágios de implantação da tecnologia Ultra HD. Digo… primeiro o 4K, depois o 8K e daí então o 16K e 32K, ou se existe a chance de algumas dessas coexistirem no mesmo tempo e espaço, como a 4K e 8K para essa década e o 16K, 32K e outra possível nova tecnologia para a década seguinte.

Dell monitor 8k

Para quem já leu algum de nossos artigos sobre o Ultra HD, deve ter ficado maravilhado com o quão real as imagens agora se tornaram com esse pequeno salto que o mercado do entretenimento está nos proporcionamos. Sim, o capitalismo ajuda a financiar o desenvolvimento tecnológico da humanidade, mas falaremos nesse artigo um pouco mais sobre o 8K.

4K saindo de campo e o 8K chegando

A emissora de TV japonesa NHK, responsável pelo desenvolvimento de técnicas de gravação em Ultra HD, já afirmou que o 8K está mais próximo do que imaginávamos e na verdade o 4K serviu apenas de pontapé inicial para essa corrida em busca de cada vez mais pixels. Devo lembrar que o 8K tem cerca de 16 vezes mais pixels que uma imagem gravada em FullHD. Isso quer dizer que se aumentarmos a quantidade de pixels, mantendo o mesmo tamanho de tela, teremos uma imagem 16 vezes mais densa. É claro que os empecilhos tecnológicos existem e são ainda maiores que os encontrados na implantação do 4K. Talvez a superação desse empecilhos seja necessário para melhorarmos nossa infraestrutura de transferência de dados na rede.

Tela gigante 8K

O problema da banda

No caso do 8K, o novo codec de vídeo vai ajudar muito, mas ele sozinho não dará conta da demanda de banda necessária para fornecer vídeos com esse tamanho. Imagine um serviço como Netflix distribuindo conteúdo em 8K, seria o mesmo que pegar uma melancia e tentar fazer com que ela passe por um funil. Para que o novo formato “pegue” é necessário, além de criação de conteúdo, vencer a barreira da distribuição na rede.

Veja mais: , , ,
  • Lidiane Rodrigues

    Eu pixo VC pixa a parede .mas vós pixeis também? Kkkk

    Quando pixels existiu ele quis dizer aglutinação de Picture e Element

    • Questão de estilo. :p

    • Justiniano

      O uso de “píxeis” não está errado não. A palavra inglesa “pixel” foi aportuguesa para “píxel” e seguindo as regras de pluralização da língua portuguesa, quando uma palavra termina em “L”, remove-se o “L” e adiciona o sufixo “eis” ou “ais”. Entretanto é possível utilizar a regra de pluralização inglesa. A escolha entre uma e outra é pessoal. Questão de estilo. As duas são aceitas. É parecido com o que ocorre com a palavra latina “curriculum”, se seguirmos as regras latinas para pluralizar, o resultado seria “curricula”, mas temas uma palavra equivalente em português, que é “currículo”. Então podemos usar as regras portuguesas de pluralização.