4g chegando, mas não com “g” maiúsculo

A Quarta Geração de telefonia ou 4G, é a tecnologia que substituirá o 3G. Óbvio! Mas não apenas isso, sua TV, geladeira ou qualquer outro equipamento com suporte à tecnologia poderá se conectar à rede 4G. Isso porque a definição de 4G não se limita a telefonia móvel, mas também oferecerá transferência de dados em “alta velocidade” à equipamento que operam com IP. Você pode assistir um filme em sua TV Ultra HD através da Netflix usando uma conexão 4G, (não aqui no Brasil) já que ela poderia facilmente se conectar a essa rede.

Velocidade do 4G

Testes realizados no Japão pela NTT DoCoMo, comprovaram que é possível atingir taxas de transferência em redes 4G que chegam a 200 Mbps. É claro que no Japão as coisas são diferentes do Brasil. Primeiro porque a infraestrutura aqui no Brasil é precária, e depois que os órgãos reguladores não são severos, pelo menos não com as empresas fornecedoras do serviço (confira vídeo no final do artigo).

O fim das ligações comuns, mas não na quarta geração

Cada vez mais a telefonia está se fundindo com a Internet, e brevemente a forma atual como fazemos as ligação desaparecerá. É mais barato fazer uma ligação usando VoIP do que uma ligação comum, isso praticamente obrigará as operadoras em alguns anos, oferecerem apenas o serviço de conexão à Internet e a ligação seria feita usando voz sobre IP.

4G NÃO significa Internet móvel de alta velocidade…

Um erro que todas as pessoas cometem, é acreditar que o 4G vai trazer conexão à internet de alta velocidade. Talvez os ganhos de velocidade de uma rede 4G para o 3G atual nem seja tão significativo assim. Falo isso baseado na péssima infraestrutura brasileira de telefonia celular. Quando o padrão 3G foi adotado, a promessa era de uma velocidade de conexão entre 5 à 10 Megabits por segundo, mas como já era esperado a velocidade real não chega nem à 1 Megabit, esse dado vem da Simet (Sistema de Medição de Tráfego Internet), controlado pelo Ceptro (órgão que tem como objetivo estudar a situação da rede no país). Entretanto estudos independentes indicam que a conexão não chegue nem a metade de um Megabit, ou seja, levemente mais rápida que uma conexão de segunda geração e meia. Para quem não entende o que isso significa, eu vou tentar ser mais claro, o Brasil quer ter uma rede de telefonia 4G quando na verdade nem na era do 3G ela entrou efetivamente. Mas talvez essa seja o primeiro passo na melhoria da infraestrutura e uma melhor fiscalização por parte Anatel com as empresas que oferecem serviços de baixa qualidade, ou não, veja o vídeo a seguir:

João Rezende, o rapaz no vídeo que na época era conselheiro da Anatel, hoje é presidente do órgão. Tenho minhas dúvidas com relação a seriedade da Anatel e o que realmente ela regula, talvez seja os clientes.

Deixe o seu comentário