Google se recusa a remover sites de pirataria

Por -

A indústria dos direitos autorais faz pedidos quase todos os dias para que o Google remova dos resultados de seu mecanismo de busca sites que, de alguma forma, disponibilizem material pirata. Apesar de a empresa sempre seguir ordem judiciais, parece que a Google não quer fazer amizade com o mercado Copyright. As empresas detentoras dos direitos querem que o Google remova sumariamente dos resultados de pesquisa qualquer site que viole suas políticas. De acordo com Eric Schmidt, isso não vai acontecer. Schmidt salienta que a sua empresa está fazendo mudanças para reduzir a pirataria, mas que o policiamento na web e exclusão de sites vai contra a filosofia do Google.

Durante anos, grupos da indústria do entretenimento têm vindo a exigir que o Google faça algo sobre os “sites de pirataria” que podem, facilmente, ser encontrados utilizando os mecanismos de busca da Google. A Google tem respondido a estas preocupações tomando uma série de medidas que visam diminuir a violação dos direitos autorais.

Google cede à pressão da indústria Copyright

A Google cedeu à pressão da indústria do entretenimento e desde 2011 vem implementando medidas contra a pirataria em sua ferramenta de busca. Medidas como remover termos de busca relacionados à pirataria, como “torrente”, “bittorrent”, “rapidshare” e “megaupload” e mais tarde começou a diminuir o ranking de sites com base no número de pedidos de remoção de conteúdo por parte da DMCA que receberem.

Sites de pirataria aparecem primeiro em resultados de pesquisa

Apesar destes esforços, os detentores de direitos autorais querem que Google tome medidas mais drásticas. A ARIAA indicou em várias ocasiões que os resultados de busca de sites de conteúdo piratas ainda tem uma classificação mais elevada do que os de lojas legítimas, e aparecem primeiro nos resultados de busca. (Isso talvez se deva ao fato de as pessoas pesquisam por termos como “baixar grátis” e não “comprar barato”). Sendo assim, os detentores de direitos autorais querem que o Google remova completamente dos resultados de pesquisa, os sites que violam claramente os direitos autorais. Mas de acordo com o Google, Eric Schmidt, isso não vai acontecer nem tão cedo, pelo menos não de forma voluntária.

Google não removerá sites de pirataria

Ele afirmou em um encontro com a imprensa na Allen & Co, esta semana, que “A indústria gostaria que editar a web e, literalmente, excluir sites, e que isso vai contra a nossa filosofia”. E afirmou também que o Google está ciente de que existem sites piratas e que vem fazendo muito para diminuir o tráfego desses sites. “É uma verdade absoluta que existem sites piratas e estamos fazendo muita coisa para reduzir a quantidade de pessoas que os utilizam”, diz Schmidt.

Dito isso, o Google não acredita que o caminho correto seja de policiar a Internet, mas sim, que os detentores de direitos levem os operadores desses chamados “sites desonestos” ao tribunal.

“Nossa posição é de que alguém está fazendo dinheiro com este conteúdo pirata e deve ser possível identificar essas pessoas e trazê-los à justiça”, observa Schimdt.

torrentfreak  Imagem telegraph 


Alexandre

Estudante de engenharia, 21 anos e geminiano, um prato cheio para quem acredita nessas bobagens. Aprendi que conhecimento se obtém com a experiência, que a idade fica na cabeça e horóscopo, bom... Nunca acreditei em horóscopo. Perfil do Google+

Postagens Relacionadas